Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2006

História da Região de Campo Grande - RJ

Imagem
Inicialmente, a extensão de terras que vai do Rio da Prata até Cabuçu, que hoje corresponde à Região de Campo Grande, era habitada por índios Picinguaba. Após a fundação da Cidade, em 1565, esse território passou a pertencer à grande Sesmaria de Irajá. Desmembrada desta em 1673, a área foi doada pelo governo colonial a Barcelos Domingues e, no mesmo ano, foi criada a Paróquia de N. Sa. do Desterro, marco histórico da ocupação territorial da Região.

Antes de a Freguesia Rural de Campo Grande começar a prosperar, sua ocupação foi influenciada pela antiga fazenda dos jesuítas, em Santa Cruz. Inicialmente desenvolveu-se na Região o cultivo da cana-de-açúcar e a criação de gado bovino. O trabalho dos jesuítas foi de extrema importância para o desenvolvimento do Rio de Janeiro. Além das obras de engenharia que realizaram, como a abertura de canais e a construção de diques e pontes para a regularização do rio Guandu, o escoamento dos produtos da Fazenda Santa Cruz, oriundos do cultivo da cana…

Para você pensar

Imagem
Havia um menino que tinha um temperamento difícil. E quando questionado a cerca de suas palavras não medidas, ou de suas atitudes explosivas, afirmava ser ele assim mesmo e que não mudava.

Seu pai, um homem sábio, deu-lhe um saco cheio de pregos e disse-lhe que cada vez que perdesse a “paciência” ou fizesse uma observação inconveniente com uma pessoa, pregasse um prego na cerca dos fundos de sua casa.

No primeiro dia o menino pregou mais de trinta pregos na cerca. Com isso, o sábio pai lhe disse: Cada vez que você conseguir conter o seu temperamento, vá e retire um prego.

Os dias foram passando e finalmente o menino pode contar a seu pai que não tinha mais pregos na cerca.

O pai então pegou o filho pela mão, levou-o até a cerca, e disse-lhe: “Você fez bem meu filho, mas veja os buracos na cerca. A cerca nunca mais será a mesma. Quando você fere com palavras ou ação a alguém, ficam as cicatrizes. Não importa quantas vezes você diga que sente muito, a ferida continuará lá. Tenha muito cuida…

História da Polícia Militar do Rio de Janeiro

Imagem
No início do século passado, como conseqüência da campanha Napolêonica de conquista do continente europeu, a Família Real portuguesa, juntamente com sua corte, decidem mudar-se para o Brasil. Aqui chegando, a Corte instalou-se no Rio de Janeiro iniciando a reorganização do Estado no dia 11 de março de 1808, com a nomeação de Ministros.

A segurança pública na época era executada pelos chamados "quadrilheiros", grupo formado pelo reino português para patrulhar as cidades e vilas daquele país, e que foi estendido ao Brasil colonial. Eles eram responsáveis pelo policiamento das 75 ruas e alamedas da cidade. Com a chegada dessa "nova população", os quadrilheiros não eram mais suficientes para fazer a proteção da Corte, então com cerca de 60.000 pessoas, sendo mais da metade escravos.

Em 13 de maio de 1809, dia do aniversário do Príncipe Regente, D. João criou a Divisão Militar da Guarda Real de Polícia da Corte, formada por 218 guardas com armas e trajes idênticos aos da…

História da Região de Irajá - RJ

Imagem
.
A Região de Irajá, com seus atuais oito bairros, teve origem na mais extensa das sesmarias doadas pela Coroa Portuguesa aos primeiros colonizadores. Em 1568, as terras, mais tarde transformadas em fazendas, foram doadas a Antonio de França, que ali fundou o Engenho de Nossa Senhora da Ajuda, marco histórico inicial de todos os bairros da Região e também dos subúrbios cariocas.

Entre seus primeiros proprietários está o padre Antonio Martins Loureiro, que recebeu uma grande porção das terras em 02 de abril de 1613. Mas foi o jesuíta Gaspar da Costa, primeiro donatário da Região, que ergueu a então Capela Barroca de Irajá, no período compreendido entre abril e dezembro de 1613.

Em 1625, a Sesmaria de Irajá ou, como era chamada na época, o Campo de Irajá, cobrindo uma vasta área que ia desde os bairros que hoje pertencem à Região Centro até os da Região Campo Grande, foi reconhecido como pertencente à Câmara Municipal.

Em dezembro de 1644, o filho de Gaspar da Costa iniciou as transformaçõe…

Hei! Você!

Imagem
Hei! Você!
Você aí do outro lado!
Feche seus olhos por alguns segundos
Feche...
Não tenha medo!


Olhe dentro de você
Veja que pessoa linda!
Abra seus olhos bem devagar
Veja o que quero lhe falar:

Abra sua janela:
Olhe o sol se ainda for dia
Mas se for noite, olhe a lua
Veja que linda magia
E se encha de energia pura

Olhe novamente pra você
Mas agora de olhos abertos
Olhe, e ouça o que quero lhe dizer:
Você é dádiva por certo

Agradeça por suas mãos
Por sentir o pulsar do coração
Veja como a vida é linda
É pura magia e paixão

Hei você!
Se estiver triste, mande a tristeza embora
Alegre-se, olhe ao seu redor e lá fora
Veja que belo é o viver
Sorria logo, sem demora

Hei você!
Só vim lhe trazer essa poesia
Para te desejar boas férias!

Infelizmente ainda estamos perdidos...

Imagem
Estamos perdidos há muito tempo...
O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada. Os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido.
Não há instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos. Alguns agiotas felizes exploram.
A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente. O Estado é considerado na sua ação fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo. A certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências. Diz-se por toda a parte, o país está perdido! Algum opositor do atual governo? Não!

Obs: O escritor Eça de Queirós escreveu isto em 1871.

Uma pequena história do Carnaval

Imagem
De origem polêmica, o Carnaval lembra algumas festas primitivas de caráter orgíaco, comemorando a chegada da primavera por ocasião de rituais agrários da Antiguidade, que datam de 10 mil anos antes de Cristo. Onde homens e mulheres pintavam seus rostos e corpos enlevando-se pela dança, pela festa e pela embriaguez.

Seguindo-se a estas, as alegres festas no Egito cultuando a deusa Ísis a 2 mil anos antes de Cristo.

Festa popular coletiva, transmitida oralmente por séculos, como herança das festas pagãs realizadas a 17 de setembro (Saturnais – em honra ao deus Saturno, mitologia grega) e 15 de fevereiro (Lupercais – em honra ao deus Pã; Bacanais ou Dionísicas – em honra a Baco, grego ou Dionísio, romano).

No início da Era Cristã, a Igreja Católica deu nova orientação a essas festividades, punindo severamente os abusos. Em exercício de tolerância ao Carnaval, tudo indica que foi nesse período que se deu sua anexação ao calendário religioso, pois o Carnaval antecede a Quaresma. Ou seja, uma …

Cacau: da América para o mundo

Imagem
Chocolate branco, amargo, meio amargo, ao leite. As variedades são tantas que com a proximidade da Páscoa, a dúvida em escolher o preferido é muito grande. 

Mas antes de fazer a sua escolha que tal conhecermos a origem do cacau?

Antes da chegada dos conquistadores espanhóis na América,astecas e maias já utilizavam o fruto sagrado e dele produziam um líquido amargo e escuro ao qual chamavam tchocolatl. Além de servir como alimento, o fruto do cacaueiro era utilizado como moeda, tendo os astecas o convertido em base do seu sistema monetário.
Colombo, em 1502, foi um dos primeiros europeus a provar o sabor do chocolate e a iniciar sua difusão pela Europa. Já no século XVII viajantes introduziram-no na Alemanha, França e Itália, porém, foi o inglês John Cadbury, em 1842, quem fabricou pela primeira vez o chocolate sólido para comer. Hoje o chocolate, que é uma grande fonte de energia, faz a festa dos chocólatras dos quatro cantos do mundo.

Ficou com água na boca? Então vá até o mercado mais p…